Você conhece os simbolos do natal?

Por que montamos o presépio?

O que é coroa do advento?

Conheça o significado dos principais simbolos do tempo do advento e do Natal

O advento

O Advento (do latim Adventus: “chegada”, do verbo Advenire: “chegar a”) é o primeiro tempo do Ano litúrgico, o qual antecede o Natal. Para os cristãos, é um tempo de preparação e alegria, de expectativa, onde os fiéis, esperando o Nascimento de Jesus Cristo, vivem o arrependimento e promovem a fraternidade e a Paz. No calendário religioso este tempo corresponde às quatro semanas que antecedem o Natal.

Coroa do Advento

Vários símbolos do Advento nos ajudam a mergulhar no mistério da encarnação e a vivenciar melhor este tempo. Entre eles há acoroa ou grinalda do Advento. Ela é feita de galhos sempre verdes entrelaçados, formando um círculo, no qual são colocadas 4 grandes velas representando as 4 semanas do Advento. A coroa pode ser, colocada ao lado do altar ou em qualquer outro lugar visível. A cada domingo uma vela é acesa; no 1° domingo uma, no segundo duas e assim por diante até serem acesas as 4 velas no 4° domingo. A luz nascente indica a proximidade do Natal, quando Cristo Salvador e Luz do Mundo, brilhará para toda a humanidade, e representa também, nossa fé e nossa alegria pelo Deus que vem. A cor roxa das velas nos convida a purificar nossos corações em preparação para acolher o Cristo que vem. A vela de cor rosa, nos chama a alegria, pois o Senhor está próximo. Os detalhes dourados prefiguram a glória do Reino que virá.

Árvore de Natal

Árvore de Natal:

No mundo, milhões de famílias celebram o Natal ao redor de uma árvore. A árvore, símbolo da vida, é uma tradição mais antiga do que o próprio Cristianismo, e não é exclusiva de uma só religião.

Muito antes de existir o Natal , os egípcios traziam galhos verdes de palmeiras para dentro de suas casas no dia mais curto do ano em dezembro como um símbolo de triunfo da vida sobre a morte.

Já o costume de ornamentar a árvore pode ter surgido do hábito que os druidas tinham de decorar velhos carvalhos com maçãs douradas para as festividades deste mesmo dia do ano.A primeira referência a uma ” Árvore de Natal” é do século XVI. Na Alemanha, famílias ricas e pobres decoravam árvores com papel colorido, frutas e doces. Esta tradição se espalhou pela Europa e chegou aos Estados Unidos pelos colonizadores alemães. Logo, a árvore de Natal passou a ser popular em todo mundo.

 

Presépio

PRESÉPIO – O vocábulo presépio é de origem hebraica e significa a manjedoura dos animais. A palavra usava-se para significar também o curral. O Evangelho de S. Lucas diz que Jesus nasceu num curral de animais. Calcula-se que a primeira pintura do presépio data do ano 380. Foi descoberta nas catacumbas, em Roma. Porém, São Francisco de Assis que, a partir do ano 1223 pediu a um homem chamado Giovanni Villita que criasse o primeiro presépio para visualizar, sensibilizar, facilitar a meditação da mensagem evangélica, do, conteúdo, do mistério de Jesus Cristo que nasce na pobreza e na simplicidade. Resolveu fazer um presépio ao vivo, junto do qual se celebrou a missa da meia-noite. É a reprodução do cenário onde Jesus Cristo nasceu: uma manjedoura, animais, pastores, os três reis magos, Maria, José e o Menino Jesus.

Teologia do advento

O Advento recorda a dimensão histórica da salvação, evidencia a dimensão escatológica do mistério cristão e nos insere no caráter missionário da vinda de Cristo.

Ao serem aprofundados os textos litúrgicos desse tempo, constata-se na história da humanidade o mistério da vinda do Senhor, Jesus, que de fato se encarna e se torna presença salvífica na história, confirmando a promessa e a aliança feita ao povo de Israel. Deus que, ao se fazer carne, plenifica o tempo (Gl 4,4) e torna próximo o Reino (Mc 1,15).

O Advento recorda também o Deus da Revelação. Aquele que é, que era e que vem (Ap 1, 4-8), que está sempre realizando a salvação mas cuja consumação se cumprirá no “dia do Senhor”, no final dos tempos.

O caráter missionário do Advento manifesta-se na Igreja pelo anúncio do Reino e a sua acolhida pelo coração do homem até a manifestação gloriosa de Cristo. As figuras de João Batista e Maria são exemplos concretos da vida missionária de cada cristão, quer preparando o caminho do Senhor, quer levando o Cristo ao irmão para o santificar. Não se pode esquecer que toda a humanidade e a criação vivem em clima de advento, de ansiosa espera da manifestação cada vez mais visível do Reino de Deus.

A celebração do Advento é, portanto, um meio precioso e indispensável para nos ensinar sobre o mistério da salvação e assim termos a Jesus como referência e fundamento, dispondo-nos a “perder” a vida em favor do anúncio e instalação do Reino.

As figuras do advento

Isaías

Isaías é o profeta que, durante os tempos difíceis do exílio do povo eleito, levava a consolação e a esperança. Na segunda parte do seu livro, dos capítulos 40 – 55 (Livro da Consolação), anuncia a libertação, fala de um novo e glorioso êxodo e da criação de uma nova Jerusalém, reanimando assim os exilados.

As principais passagens deste livro são proclamadas durante o tempo do Advento num anúncio perene de esperança para os homens de todos os tempos. Ele que no capítulo 7 do seu livro já anuncia a vinda do Senhor

João Batista

É o último dos profetas e segundo o próprio Jesus, “mais que um profeta”, “o maior entre os que nasceram de mulher”, o mensageiro que veio diante d’Ele a fim de lhe preparar o caminho, anunciando a sua vinda (Lc 7, 26 – 28), pregando aos povos a conversão, pelo conhecimento da salvação e perdão dos pecados (Lc 1, 76s). A figura de João Batista ao ser o precursor do Senhor e aponta como presença já estabelecida no meio do povo, encarna todo o espírito do Advento. Por isso ele ocupa um grande espaço na liturgia desse tempo, em especial no segundo e no terceiro domingo. João Batista é o modelo dos que são consagrados a Deus e que, no mundo de hoje, são chamados a também ser profetas e profetisas do reino, vozes no deserto e caminho que sinaliza para o Senhor, permitindo, na própria vida, o crescimento de Jesus e a diminuição de si mesmo, levando, por sua vez os homens a despertar do torpor do pecado.

José

São José com Cristo nos braços.
Nos textos bíblicos do Advento, se destaca José, esposo de Maria, o homem justo e humilde que aceita a missão de ser o pai adotivo de Jesus. Ao ser da descendência de Davi e pai legal de Jesus, José tem um lugar especial na encarnação, permitindo que se cumpra em Jesus o título messiânico de “Filho de Davi”. José é justo por causa de sua fé, modelo de fé dos que querem entrar em diálogo e comunhão com Deus.

MARIA, A GRANDE FIGURA DO ADVENTO

Desde o momento da Anunciação, quando o Anjo A convida para aceitar ser Mãe do Verbo encarnado, do Messias, do Salvador, de Jesus, Maria viveu intensamente esse tempo com uma Fé, uma vida interior, uma comunhão com Deus, uma certeza e uma esperança que não se podem imaginar nem imitar. Ela é a única no amor e na fé, na esperança e na oração.
Ela é a Cheia de Graça mergulhada na Trindade, como Filha de Deus, Mãe de Jesus e Esposa de Deus Espírito. E nessa graça e intimidade não há lugar para o pecado, para a rebeldia própria dos filhos de Eva. Só há fidelidade, radicalidade de entrega e de amor. Só há adesão firme a Deus e à sua vontade.
Ela é sol sem nuvens, flor sempre viçosa. Ela nunca atraiçoou o projecto e os pedidos de Deus.
Maria conhecia a Palava dos Profetas, era assídua na meditação da Escritura. Por isso viveu este tempo vendo a sua vida e a sua missão, vendo a vida e a missão de seu Filho como matizes que o Antigo Testamento Lhe indicava. Daí ser ainda maior a sua fé, a sua adesão interior, pois as profecias falavam do Filho e falavam d’Ela: «uma Virgem conceberá e dará à luz um filho, a quem chamarão de Emanuel (Deus connosco)…».

Nela, pelo desígnio amoroso de Deus e pela sua colaboração e fidelidade, vão cumprir-se as professias acerca do Messias. Aquele que multidões de homens ao longo de milhares de anos, esperaram, já está dentro do seu ventre sagrado.
Aquele que Ela está a gerar e dará á luz no presépio, Aquele que amamentará, que apresentará no Templo, que ajudará a crescer, com quem viverá em Nazaré, Aquele que Ela há-de oferecer, de pé junto à Cruz.
Mesmo se Maria, a Virgem de Nazaré não soubesse tudo quanto iria acontecer, sabia a grande graça, o grande dom: no seu ventre estava a ser gerado o Verbo do Pai. Ela ia ser Mãe do Messias, do Salvador.
Embuída nesta ceteza, Maria reza, aguarda, reflecte, espera com um amor nigualável, com uma alegria única, com uma fé firme. E enquanto o Menino vai crescendo dentro de Si, vive ora e ama com radicalidade de entrega, com o coração repassado de ternura, que a faz viver em júbilo.
Com Maria e como Maria, podemos e devemos viver o nosso Advento. Ele vem aí. Ele vai nascer. Ele está para chegar. Preparemo-noscom muita esperança, muita caridade, com muitas boas obras de amor, caridade, de verdade e justiça. Façamos presépio dentro de nós. Que bonita vai ser a Festa!!!

Novena de Natal

Existem muitos modos de nos prepararmos bem para o Natal. Um deles é fazendo a Novena de Natal. A tradição desta Novena nos coloca em sintonia com aquela primeira novena feita por Nossa Senhora junto com os discípulos, em preparação à vinda do Espírito Santo (At 1,13-14). Assim, o nosso Natal não será apenas uma festa de comes e bebes e troca de presentes, mas a celebração do aniversário de Jesus, no grande mistério de amor que é a Encarnação do Verbo divino.

A alegria da fé nos faz contemplar um Deus que se fez nosso irmão, presente numa criancinha. Um Deus ternura, bem próximo de nós, como Palavra encarnada, cheia de luz, que nos comunica um amor infinito. Quem pode ir ao encontro dessa Luz? Todos os que se empenham na busca e na promoção da paz. Ainda que o mundo prefira as trevas da corrupção e da violência, essa escuridão já não poderá dominar a Luz, porque “a Palavra se fez carne e habitou entre nós” para sempre.

A Palavra de Deus veio para todos os seres humanos, de todos os tempos, porque Deus se encarnou na natureza humana da qual todos participamos. Onde houver trevas, é preciso que brilhe a luz dessa Palavra, através da nossa fé e do nosso testemunho de comunidade fraterna. Acolhendo com o coração a Palavra de Deus, para melhor nos prepararmos para o nascimento de nosso Salvador, nesta Novena vamos meditar  a respeito de alguns mistérios da vida de Nosso Senhor Jesus Cristo, diretamente relacionados com nosso plano de salvação.

Que nossa mente e coração se abram para a graça, pois Deus está mandando seu próprio Filho para nos salvar de tudo o que compromete nossa paz e alegria de viver: dificuldades, sofrimentos, morte…

Reuna sua família, vamos rezar juntos a novena de Natal! Que possamos vivenciar com alegria esse tempo de espera, e tenhamos o coração aberto para receber Jesus que irá nascer!